Como elaborar uma hipótese para o TCC

O primeiro passo para nortear o processo de pesquisa é a determinação das hipóteses de solução para o problema de pesquisa. Essas hipóteses devem, naturalmente, atender a determinadas características para que sejam considerada cientificamente válidas. A hipótese é o elemento que irá nortear todos os passos seguintes do processo de pesquisa, pois o objetivo da pesquisa é justamente validar ou não a hipótese elaborada. Assim, a hipótese direciona os esforços de pesquisa no trabalho científico. Mas como elaborar uma boa hipótese para o TCC? Entenda, nesse artigo, o que é e como elaborar as hipóteses do seu trabalho.

Por: Diego A. Gonzaga | Publicado em 22 de junho de 2020

O processo de elaboração da pesquisa científica parte normalmente de problemas que são encontrados em determinadas áreas, questões para as quais o pesquisador não tem solução a priori mas considera importante que se busque solução. Dentro da ciência, isso é o que nos chamamos de pesquisa científica. No processo de solução o primeiro passo depois da definição do tema, é justamente definir de forma científica que problema se deseja solucionar. O problema de pesquisa deve ter certas características para que seja considerado um problema de pesquisa cientificamente válido.

Determinado o problema de pesquisa da forma correta, o processo de pesquisa tem sequencia na aplicação do método científico para que se possa encontrar as possíveis soluções cientificamente válidas para o problema. O primeiro passo para nortear o processo de pesquisa é a determinação das hipóteses de solução para o problema de pesquisa. Essas hipóteses devem, naturalmente, atender a determinadas características para que sejam consideradas cientificamente válidas.

As hipóteses são os elementos que irão nortear todos os passos seguintes do processo de pesquisa, pois o objetivo da pesquisa é justamente confirmar ou não as hipóteses elaboradas. Assim, as hipóteses direcionam os esforços de pesquisa no trabalho científico.
A agora vem a primeira grande dúvida: O que é e como elaborar a hipótese para o TCC?

O que é uma Hipótese?

pense como cientista

Antes de descobrir como elaborar a hipótese para o TCC, vamos esclarecer o que é esse elemento (Estrutura do Projeto de Pesquisa e do TCC). De forma geral, uma hipótese é uma suposição, mas não uma suposição qualquer. A hipótese é uma suposição que pode de fato se tornar uma verdade, ou que podemos demonstrar que ela é verdadeira.

Nos trabalhos científicos, a hipótese é uma tentativa de explicar o que desconhecemos e o que pretendemos demonstrar. Geralmente essa demonstração é feita por meio de teste das variáveis envolvidas, que poderão confirmar ou não, o que queremos explicar ou demonstrar (1).

hi·pó·te·se
substantivo feminino
1. Suposição do que é possível (para do fato se tirar uma conclusão).
2. Teoria não demonstrada mas provável; suposição.
“Hipótese”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

A hipótese científica é, na verdade, uma suposição ou proposta de possíveis relações entre duas ou mais variáveis científicas. Essa proposta precisa ser colocada à prova para que se possa determinar sua validade ou nulidade (2,3).

Assim, podemos perceber que as hipóteses devem expressar determinadas características para que sejam consideradas válidas do ponto de vista científico.

 

Quais as características de uma Hipótese?

quantas paginas tem um projeto de pesquisa

Apresentado o conceito geral de uma hipótese é necessário especificar quais são as características que elas devem expressar para que possam ser consideradas hipóteses cientificamente válidas. De fato podemos considerar a hipótese como uma sentença que expressa a relação entre as variáveis em estudo. Algumas das características mais importantes, e necessárias para sua validade, são (1):

  • Consistência lógica: o enunciado das hipóteses não pode conter contradições e deve ter compatibilidade com o corpo de conhecimentos científicos;
  • Verificabilidade: devem ser passíveis de verificação;
  • Simplicidade: devem ser parcimoniosas, evitando enunciados complexos;
  • Relevância: devem ter poder preditivo e/ou explicativo;
  • Apoio teórico: devem ser baseadas em teoria, para ter maior probabilidade de apresentar genuína contribuição ao conhecimento científico;
  • Especificidade: precisam indicar as operações e as previsões a que elas devem ser expostas;
  • Plausibilidade e clareza: devem propor algo admissível e que o enunciado possibilite o seu entendimento;
  • Profundidade, fertilidade e originalidade: devem especificar os mecanismos aos quais obedecem para alcançar níveis mais profundos da realidade, favorecer o maior número de deduções e expressar uma solução nova para o problema.

Essas características sustentam o caráter cientifico de uma hipótese. Se for possível estabelecer uma relação, ainda que hipotética, entre as variáveis estudadas que expresse todas essas características, a pesquisa que será realizada para validar essa hipótese, terá grandes chances de gerar resultados satisfatórios.

Você deve estar se perguntando agora: Toda sentença que expressar essas características é uma Hipótese. A resposta é não. É necessário ter cuidado para não se propor suposições que satisfação essas condições mas que, ainda assim, não podem ser chamadas de hipóteses, pois é importante saber como elaborar a hipótese válidas para seu TCC e não sentenças com características de hipóteses. Então o que não é uma hipótese?

​​

O que não é uma hipótese de pesquisa?

o que é o projeto de pesquisa

Uma das grandes armadilhas do processo de construção das hipóteses são as proposições conclusivas. As hipóteses não são conclusões embasadas e referenciadas. Esse tipo de sentença, na verdade, é o objetivo do estudo, e naturalmente encerrariam a pesquisa.

Se as hipóteses são suposições de uma relação entre duas ou mais variáveis, elas devem expressar de forma clara como estas variáveis estão relacionadas. Assim, como nos requisitos das variáveis expostas no problema de pesquisa, as variáveis abordadas na hipótese devem ser passíveis de mensuração. Uma proposição que não atenda a estas características também não pode ser considerada uma hipótese do ponto de vista científico.

“Mas e quando uma hipótese parece ser plausível e interessante, mas não pode ser diretamente testada?” você deve estar se perguntando. Nestes casos, a hipótese principal deverá ser deduzida em outras hipóteses, as quais possam ser submetidas à verificação. Assim, a hipótese principal satisfaz as condições necessárias para ser uma hipótese científica (2,4).

Você já deve ter percebido que a as variáveis expressas no problema de pesquisa irão, novamente, ser relacionadas na formulação da hipótese. Então, qual a relação entre hipóteses e o problema de pesquisa?

Qual a relação Hipótese x Problema?

estrutura do teto dissertativo

Como já comentado na seção anterior, problemas e hipóteses, são enunciados de relações entre variáveis. Dessa forma, ambos dependem destas variáveis para que seja considerados válidos do ponto de vista científico. Além disso, esses dois elementos do método científico (Estrutura do Projeto de Pesquisa e do TCC) tem uma relação direta entre si: depois de formulado o problema propõe-se uma possível resposta para essa questão, isto é, uma hipótese. Assim, o problema constitui sentença interrogativa acerca do tema, e a hipótese, uma sentença afirmativa proposta como resposta provisória e estável para o problema (2).

Como se pode imaginar, um mesmo problema pode ter várias hipóteses. Essas respostas provisórias e testáveis para o problema são expostas aos teste e, à medida que verifica-se que não é possível comprová-las, ou seja, que as explicações propostas não se ajustam ao problema, corrigi-se as hipóteses com as novas informações disponíveis (1).

Sabendo o que são, quais as características e as relações que a hipóteses estabelecem no processo de pesquisa fica fácil compreender a função que esse elemento desempenha nesse processo.

 

Qual a função de uma Hipótese?

Metodo científico

Assim como todo e qualquer elemento do método científico, a hipótese tem uma função e é um elemento essencial no desenvolvimento do processo investigativo científico.

A principal função das hipóteses é guiar o planejamento dos procedimentos exigidos pela metodologia e que são necessários para a pesquisa. Com base na hipótese proposta é possível definir quais serão as diretrizes de todo o processo de investigação. Em outras palavras, o processo de pesquisa será delineado para confirmar ou rejeitar a hipótese proposta (5).

Podemos citar as funções principais como (2):

  • Generalizar uma experiência, quer resumindo, quer ampliando os dados empíricos disponíveis;
  • Desencadear inferências, atuando como afirmações ou conjecturas iniciais sobre o “caráter”, a “quantidade” ou as “relações” entre os dados;
  • Servir de guia à investigação;
  • Atuar na tarefa de interpretação (hipóteses explicativas) de um conjunto de dados ou de outras hipóteses;
  • Funcionar como proteção de outras hipóteses.

De forma geral a função da hipótese é proporcionar explicações para certos fatos e, ao mesmo tempo, orientar a busca de outras informações em relação à área temática estudada (2).

Para exercer todas essas funções no processo de pesquisa a hipótese pode se adaptar assumindo características específicas em alguns casos. Então, você deve se perguntar: Mas existem outras características além das ja citadas nos itens anteriores para caracterizar uma hipótese? Na verdade não. Mas as hipóteses podem ter algumas nuances especificas pelas quais pode-se agrupar as hipóteses em três tipos, que veremos a seguir.

 

Quais os tipos de Hipóteses?

Tipos de dissertaçao

Os tipos não estão relacionados necessariamente com as características das hipóteses. Eles fazem referência ao tipo de informação que se deseja expressar nas hipóteses (5). Dentre os mais comuns temos:

  • Hipótese casuística: afirma que um objeto ou fato tem determinada característica;
  • Hipótese de frequência de acontecimentos: antecipa se uma característica ocorre com maior ou menor frequência em um determinado grupo;
  • Hipótese de relação entre variáveis: estabelece relação entre itens, que, por sua vez, podem ser classificados em duas ou mais categorias.

Agora, creio que as bases estão lançadas. Depois de toda essa introdução é hora de descobrir Como elaborar a hipótese para o TCC?

 

Como elaborar a hipótese para o TCC?

o que não fazer no projeto

Enfim, depois de toda essas informações sobre as hipótes, ainda não ficou claro como elabora uma hipótese, não é verdade?
Pois bem, mãos à obra.

Como já dito anteriormente, a hipótese é uma sentença afirmativa (ou negativa, no caso das hipóteses negativas) proposta como resposta provisória e testável para o problema de pesquisa.

Além disso elas devem apresentar um caráter explicativo ou preditivo, ser compatível com o conhecimento científico vigente, apresentar consistência lógica e, principalmente, deve ser passível de verificação empírica em suas consequências.

Não há regras explicitas para a construção das hipóteses, porém, existem duas maneiras principais de formula-las (2):

Forma Condicional

A forma condicional estabelece uma relação entre as variáveis, abordadas no problema de pesquisa, baseada na estrutura logica condicional “se/então”:

– se x, então y (x e y são variáveis);

– se x, então y, sob as condições n e s (com mais de duas variáveis); e

– se x1, x2 e x3, então y (1).

onde x e y são variáveis ligadas entre si pelas palavras “se” e “então”.

Exemplo: [Fonte:(1)]

Problema: A constante migração de grupos familiares carentes influencia em sua organização interna?

Hipóteses:

– Se elevado índice de migração de grupos familiares carentes (x), então, elevado grau de
desorganização familiar (y).

– Se elevado grau de desorganização interna em famílias carentes (x), então, maior probabilidade de
marginalização do menor (y).

– Se elevado grau de desorganização interna na família carente (x), então, maior probabilidade de
marginalização do menor (y), dada a baixa escolaridade do menor (n) e o elevado grau de mobilidade
geográfica (migração) da(s) família (s).

– Se elevado grau de desorganização interna da família carente (x1), baixa escolaridade do
menor (x2) e elevado grau de mobilidade geográfica da família (x3), então, maior possibilidade de
marginalização do menor (y).

Forma Categórica

A forma categórica consiste em estabelecer uma resposta objetiva para o problema de pesquisa relacionando as variáveis abordadas.

Exemplo: [Fonte:(1)]

Hipóteses:

O elevado índice de migração de grupos familiares carentes gera um elevado grau de desorganização familiar.

Em geral, o processo de elaboração de hipóteses é de natureza criativa, assim a ferramenta mais relevante é a experiência na área de pesquisa. Por isso é muito importante que você discuta com seus orientadores e parceiros de pesquisa sobre essa construção. Além disso você deve se atentar às diversas fontes de respostas para o problema de pesquisa que você pode se inspirar para determinar a melhor hipótese para a sua pesquisa.

 

Quais as fontes de Hipóteses?

mulher cientista brasileiratrabalhando em laboratório

De fato, a experiência e a capacidade de observação são as ferramentas mais significativas para a elaboração das hipóteses. Mas pode-se extrair as bases de uma hipótese de diversas fontes, desde teorias avançadas até mesmo de exemplos corriqueiros dos dia a dia. O conhecimento relacionado ao meio de convivência e o senso comum podem levar a perceber correlações entre fenômenos e a real correspondência existente entre eles.

As hipóteses podem também ser estabelecidas com base na observação de fatos casuais da natureza semelhantes aos que se estuda. Caso haja uma situação em que seja possível estabelecer, para a questão estudada, uma lógica semelhante as da circunstância observada sejam elas do cotidiano ou mesmo do meio científico, propõe-se, por analogia, uma hipótese embasada no exemplo observado.

Podem-se também elaborar uma hipótese por dedução lógica baseada no contexto de uma teoria. Utiliza-se as proposições dessa teoria para elaborar uma sucessão de eventos ou a correlação entre eles, para propor-se uma hipótese.

Uma fonte pouco usual de hipóteses são as discrepâncias apresentadas em relação ao que “deveria” acontecer em decorrência da teoria sobre determinados assuntos e o que realmente se observa. Assim como nas analogias pode-se estabelecer uma linha de pensamento contraria ao senso comum por analogia a uma discrepância pre existente na literatura (2).

E esse é o essencial que você precisa para elaborar as hipótese para a sua pesquisa. Espero que tenha esclarecido para você como elaborar a hipótese para o TCC.

 

1 PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. Metodologia do Trabalho Científifico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico – 2a Edição. Editora Feevale, ISBN 9788577171583. Dispon´ıvel em: hhttps://books.google.com.br/books?id=zUDsAQAAQBAJi.

2 LAKATOS, E.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científifica. Atlas, ISBN 9788522440153. Disponível em: hhttps://books.google.com.br/books?id=r0ruAAAACAAJi.

3 MORETI, I. Hipóteses do TCC: veja como formular e exemplos prontos. 2020. Disponível em: hhttps://viacarreira.com/hipoteses-do-tcc/i.

4 MARTINS, E. Hipótese do TCC: tire as principais dúvidas e confira 5 dicas de como fazer. 2019. Disponível em: hhttps://blog.mettzer.com/hipotese-tcc/#O-que-nao-e-uma-hipotese-de-pesquisai.

5 FONSECA, R. C. V. D. Metodologia do trabalho científico. Curitiba, PR -Brasil: IESDE, 2012. v. 1.

GONZAGA, D. A.. Como elaborar uma hipótese para TCC? gonablog | gonabee Escola Digital, 2020. Disponível em <https://gonabee.com.br/index.php/conteudo/como-elaborar-a-hipotese-para-tcc/> Acessado em: DIA de MÊS de ANO.

Indicações

Treinamento

Se você fazer o seu TCC de forma rápida e está cheio de dúvidas: Não sabe como começar, não sabe como definir o tema do trabalho. Não sabe o que são os objetivos geral e específicos.

Eu te indico o Curso TCC Sem Drama, do Professor Amilton Quintela. No treinamento do professor Amilton ele vai encontrar:

Videoaulas que mostram um Roteiro Aprovado para você seguir e construir o passo a passo, o seu TCC; Modelos Totalmente Comentados de TCC’s para você seguir e Acelerar o seu trabalho; Uma técnica de 4 Passos Simples, baseada em palavras-chave, para você Direcionar e Acelerar a sua pesquisa de Referencial Teórico; Como Roteirizar os capítulos do TCC para não “travar” e produzir o conteúdo dos seus capítulos ou seções de maneira direcionada; E que eu acredito ser o grande Benefício do TCC Sem Drama: Orientação Online Personalizada.

Com o TCC Sem Drama você vai finalizar o seu trabalho em tempo recorde e com qualidade. E além de todas essas vantagens você ainda ter um super bônus:  Licença de UM ANO do editor que formata o seu trabalho direto nas normas da ABNT: o Mettzer.

Não perca mais tempo! Acesse o curso (click aqui para acessar página do curso) e saiba o que você precisa para ter seu TCC aprovado com o  treinamento do professor Amilton Quintela, o TCC Sem Drama.

A nossa nova ferramenta de acesso a conteúdo, uma biblioteca digital: a gonaTECA.

Sim, Agora você pode ter uma biblioteca em casa! A gonabee desenvolveu uma biblioteca digital para facilitar a sua vida mais uma vez! Na gonaTECA você vai encontrar muita informação de qualidade e ao seu alcance em apenas um click.

Método Pomodoro

Uma forma de alcançamos esse objetivo é nos organizar algum método, e de preferência um método bem estruturado que tenha grandes oportunidades de gerar bons frutos. Dentre os métodos existentes,…

Como meditar iniciante

Neste artigo apresentamos uma forma simples de como começar a meditar para um iniciante. Diminua o seu nível de estresse com a prática da meditação!
Acreditamos que a educação é a melhor forma de transformar o Brasil em um país melhor para os brasileiros.
© 2019 · gonabee Escola Digital. Todos os direitos reservados.